Marcos Aurélio Galeano

De Porcopedia - A Enciclopedia do Palmeiras

GALEANO
Galeano
Informações pessoais
Nome Completo Marcos Aurélio Galeano
Data de nasc. 28 de março de 1972
Local de nasc. Santa Rita do Sapucaí (MG), Brasil
Altura 1,82 m
Peso 80 Kg
Destro
Apelido Guerreiro do Verdão e Senhor Palmeiras
Informações profissionais
Clube atual Palmeiras
Posição Auxiliar Técnico (ex-Volante)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (gols)
1989-2002 Palmeiras 474 (10)
1993 Rio Branco  ? (?)
1994-1995 Juventude  ? (?)
2002 Botafogo 22 (5)
2003 Gamba Osaka 5 (0)
2003 Ankaragucu 7 (0)
2004 Bahia  ? (?)
2004 Figueirense 12 (2)
2005 Ponte Preta 37 (2)
2006 Fortaleza 6 (0)
2006 Goiás 15 (0)
2007 Santo André  ? (?)
2007 Joinville  ? (?)
2008 Sertãozinho  ? (?)
2008 Ituano  ? (?)
Títulos
Anos Clubes Campeonato
1994 Juventude Brasileiro Série B
1996 Palmeiras Paulista
1998 Palmeiras Copa do Brasil
1998 Palmeiras Mercosul
1999 Palmeiras Libertadores
2000 Palmeiras Rio-São Paulo
2000 Palmeiras Copa dos Campeões

Marcos Aurélio Galeano, o Galeano, de Ivaiporã, nascido no dia 28 de março de 1972, é um ex-futebolista brasileiro que atuava como volante, mas tinha a fama de ser polivalente, Felipão disse que se fosse preciso ele atuaria até no gol, tamanha sua polivalência.

Biografia

Galeano marcou sua carreira defendendo o Palmeiras,[1] clube onde iniciou sua carreira em 1989. Teve ainda rápidas passagens por Rio Branco e Juventude entre 1993 e 1995.

Voltou ao Verdão em 1996. Galeano participou da que pode ser considerada segunda fase da parceria de seu clube com a Parmalat. Pelo time paulista, o volante participou das campanhas campeã do Paulista de 1996, da Mercosul de 1998, da Libertadores de 1999 e do Torneio Rio-São Paulo de 2000. Sempre determinado, o jogador chegou a ser capitão do Palmeiras em algumas oportunidades. Ficou conhecido também pelas alcunhas de "Senhor Palmeiras" e "Guerreiro do Verdão". Está entre os maiores ídolos da história do Palmeiras.

Deixou o clube no meio de 2002, quando foi defender o Botafogo. No alvinegro, Galeano tinha status de capitão em algumas oportunidades e também era o batedor oficial de pênaltis da equipe. Porém, o destino pregaria uma peça em sua, até então, boa passagem pelo clube da estrela solitária. O cabeça-de-área, que era um dos poucos jogadores que se destacavam na pífia campanha do Botafogo naquele Brasileirão, jogaria numa quarta-feira contra sua ex-equipe, o Palmeiras. No início da semana, Galeano declarara à imprensa que caso tivesse uma oportunidade não gostaria de fazer um gol naquele jogo, já que o time verde também estava em má situação no campeonato. Durante a partida, que estava 2 a 1 para o Palmeiras,[2] foi marcado um pênalti para o Botafogo. Galeano, que tinha apoio do técnico Ivo Wortmann, apresentou-se para a cobrança e chutou a bola para fora.[3] A partir de então, o jogador passou a ser perseguido pela torcida e teve que transferir-se no início de 2003 pois não havia mais clima para o jogador continuar. Naquele ano, tanto Botafogo quanto Palmeiras foram rebaixados.

Após um ano no exterior, Galeano voltou para defender Bahia e Figueirense em 2004. No clube baiano, chegou a marcar um gol de bicicleta na decisão do Campeonato Baiano contra o Vitória.[4] Em 2005, passa a atuar efetivamente como zagueiro na Ponte Preta, onde foi capitão durante toda a temporada. No ano seguinte, atuou por Fortaleza e Goiás. Jogou também no Sertãozinho Futebol Clube, onde novamente foi capitão e destaque da equipe no Campeonato Paulista.[5] Antes de encerrar sua carreira, passou pelo Ituano Futebol Clube onde anunciou sua despedida do futebol no dia 2 de dezembro de 2008 para se tornar dirigente do mesmo clube.

Atualmente Galeano é auxiliar técnico do Palmeiras.



Estatísticas no Palmeiras

Ano Campeonatos Jogos Gols Marcados Cartões Amarelos Cartões Vermelhos
1999 Libertadores
Total

Ferramentas pessoais