Entrevista Oberdan Cattani

De Porcopedia - A Enciclopedia do Palmeiras

Tabela de conteúdo

Depoimento

Minha primeira visita ao ídolo, em 2004

Em 2004, fui até a barbearia do Palmeiras para comprar a recém lançada biografia de Oberdan Cattani, "A muralha verde", escrita por Osni Ferrari. Folheando as primeiras páginas, decidi ir até a casa do goleiro, conhecê-lo pessoalmente. Me enchi de coragem, anotei o nome da rua fornecido pelo barbeiro e fui em frente. Quando encontrei o sobrado verde, toquei a campainha ainda descrente que ali realmente morava o ex-goleiro do Palmeiras. O próprio Oberdan atendeu. Ao ver aquela figura inconfundível de cabelos repartidos, bigode fino e mãos enormes, fiquei sem saber o que dizer. Ele veio até a porta e eu mostrei-lhe o livro: "Seu Oberdan, eu queria que o senhor autografasse o livro para mim". "Já está autografado, meu filho", respondeu-me com voz firme. Me enchi de coragem: "Na verdade eu vim aqui para conhecer o senhor". "Então faz favor, meu filho. Entre".

Seis anos depois, seu Oberdan mais uma vez abriu as portas de sua casa para mim. Fiquei muito feliz e honrado pela oportunidade de conversar com um dos maiores ídolos de todos os tempos do meu time de coração. Apesar de nunca ter visto um vídeo sequer de Oberdan em ação, ele é desses jogadores que sempre admirei, assim como Heitor, Bianco, Junqueira, Waldemar Fiúme e tantos outros que fizeram do Palestra o gigante Palmeiras de hoje. Jogadores que jogavam com a alma, tinham o Palmeiras no sangue. O intuito dessa entrevista é tentar levar aos torcedores que pouco o conhecem (ou simplesmente não o conhecem), um pouco do que foi Oberdan e o que ele representa para o clube. Oberdan nasceu apenas 4 anos e 10 meses após a criação do Palestra Italia. Se tornou palestrino, assim como todos em sua família. Casou-se na sala de troféus do clube. Dedicou 14 anos de sua vida profissional ao Palmeiras e só não encerrou a carreira no clube pela falsa promessa de um ex-presidente. O único jogador vivo da conquista de 42, a Arrancada Heróica. Oberdan Cattani é uma lenda viva do Palestra Italia.

Fabio Tatu (julho/2010)


A entrevista

Em 2010, ao lado da muralha verde

Depois de alguns contatos, Oberdan Cattani me recebeu em sua casa para uma entrevista. O sobrado que reside na Pompéia é o mesmo que passou a morar desde que se casou, em 1945, com Dona Marcília. Ali, criou seus três filhos, Walkyria, Oberdan Júnior e Mônica, onde também ficou viúvo do grande amor de sua vida em 1977. Cada canto da casa lembra o Palmeiras e por ali já desfilaram grandes ídolos do nosso futebol. Seu Oberdan, generosamente, me mostrou a casa toda. Na sala onde assiste confortavelmente seus programas na TV, a gata Xuxa é presença constante. No andar de cima, o quarto onde dorme é decorado com fotos e desenhos seus e do Palmeiras. Na parte de cima do armário, uma pequena porta revela algumas imagens de santos, uma maior de Nossa Senhora de Guadalupe, onde reza todas as noites. Um estreito corredor leva para um outro cômodo, uma espécie de museu particular da muralha verde. Pôsteres, fotos, matérias de jornais e títulos honoríficos cobrem as paredes. Nas estantes muitas taças, troféus e vários presentes recebidos por Oberdan em suas viagens com o time dos veteranos, ou dos clubes do interior que sempre o convidam para homenageá-lo. Ao passarmos pelo estreito corredor com estantes recheadas dos dois lados, seu Oberdan para e me mostra a foto de seu pai, Ernesto, falecido quando ele ainda era garoto. "Esse fez com um braço o que nenhum filho conseguiu fazer com dois.". Olha fixamente para o retrato e dá um leve suspiro, deixando escapar uma pontinha de emoção (fez isso novamente quando falou da morte do seu grande amigo, o ex-jogador Lima).

Folheando alguns livros e vendo fotos e pôsteres da época, que levei para a entrevista, Oberdan lembra de todos seus companheiros, sem exceção, até o massagista chamado Tamanqueiro. Vai olhando as fotos e apontando os companheiros de time. Quase todos já se foram. "Eu e o Turcão estamos tirando no palitinho", diz ironicamente.

Durante mais de duas horas de bate-papo, falou sobre sua chegada ao Palestra, os amigos que fez no futebol, jogos que marcaram, das alegrias e a tristeza pela saída do Palmeiras.

Essa entrevista foi dividida em 3 partes para melhor visualização, vide links abaixo.

Clique para visualizar a ficha do ex-goleiro Oberdan Cattani na Porcopédia - Ficha de Oberdan Cattani


Links da entrevista


Porcopédia no YouTube


Para assistir mais vídeos dessa entrevista, acesse o canal da Porcopédia no YouTube: http://www.youtube.com/user/porcopedia/


Agradecimentos

Essa entrevista não seria possível sem a colaboração que deram, de uma ou outra maneira, as seguintes pessoas:


  • Julyana Travaglia
  • Lilian Trigo
  • Roberto "Cabinho", genro de Oberdan Cattani


À vocês, meus sinceros agradecimentos.
Fabio Tatu

Ferramentas pessoais