Barradão

De Porcopedia - A Enciclopedia do Palmeiras

Barradão
Barradão
Informações Gerais
Nome Estádio Manoel Barradas
Local Salvador, BA
Construção 1986
Inauguração 11 de novembro de 1986
Remodelação 25 de agosto de 1991
Expandido
Proprietário Vitória
Extensão 105m x 70m
Gramado Grama natural
Números
Custo Cz$ 46.137.229
Capacidade 35.632
Público Recorde 55.200 (07/05/2000)
Vitória 2 x 0 Juazeiro
Primeira Partida Vitória 1 x 1 Santos (11/11/1986)
Primeiro gol Dino (Santos)

O Estádio Manoel Barradas, o Barradão, é um estádio de futebol de Salvador (Bahia), de propriedade do Esporte Clube Vitória. Foi inaugurado em 11 de novembro de 1986, com a partida Vitória 1x1 Santos e reinaugurado em 25 de agosto de 1991, com o jogo Vitória 1x1 Olimpia-PAR, campeão da Libertadores do ano anterior. Sua capacidade atual é de 35 mil espectadores.


Tabela de conteúdo

História

Foto de 1986
Vista aérea

Até 10 de novembro de 2006, o Vitória havia realizado 358 jogos oficiais, com 231 vitórias, 66 empates e 61 derrotas, marcando 778 gols e sofrendo 377, com saldo de 401 gols e aproveitamento de 70,7%.

Quase 500.000 espectadores assistiram os jogos do Vitória em seu estádio em 2006, e a média de público neste ano foi de quase 14.000 espectadores por jogo. Se formos considerar apenas o Campeonato Brasileiro Série C, a média do Vitória em 2006 foi de 15.062 pagantes por partida. Já no Campeonato Brasileiro Série B de 2007, a média de público do rubro-negro baiano foi de cerca de 18.000 pagantes. Na edição de 2008, quase 16.000 pessoas estavam no estádio por partida.

Vista interna
Fachada do estádio

Custando mais de 46 milhões de cruzeiros, o estádio foi construído nos anos 1980, na gestão do então presidente José Rocha. Já sua reinauguração, em 1991, esta visando já receber partidas constantes, custou 100 milhões de cruzados.

É notável que o estádio foi mesmo o divisor de águas do futebol baiano. Com a sua construção, o rubro-negro baiano assumiu a hegemonia do estado, conquistando mais títulos em duas décadas do que tinha em noventa anos de vida.

Para se ter uma ideia da superioridade do Leão em relação ao seu rival tricolor, o Bahia, nessa época, o time rubro-negro permaneceu invicto em Ba-Vis de 5 de abril de 1998 a 21 de maio de 2006, mais de oito anos de invencibilidade. Até o momento, o Vitória, no Barradão, tem vinte e uma vitórias, sete empates e sete derrotas no clássico.

Disputando finais em seu estádio, o Leão da Barra tem um aproveitamento impressionante. Nas oportunidades em que o time decidiu o título de alguma competição em sua casa, só sofreu a perda em três oportunidades: no Campeonato Baiano de 1998, quando precisava vencer o Bahia por dois gols de diferença e apenas conseguiu um magro 1x0, na Copa do Nordeste de 2002, quando empatou em 2x2 precisando de uma vitória também por dois gols de diferença e no Campeonato Baiano de 2006, quando perdeu por 4x2 do Colo-Colo e cedeu o título para o clube de Ilhéus. Já o número de conquistas em seu estádio impressiona: nos Campeonatos Baianos de 1995, 1996, 1997, 2002, 2003, 2004, 2005, 2008 e 2009, e na Copa do Nordeste de 2003, o rubro-negro comemorou mais um título na Toca.

O Estádio Manoel Barradas tem sua história contada no Livro Barradão: Alegria Emoção e Vitória , pelos Rubro-Negros Alexandre Ramos Ribeiro e Luciano Sousa Santos (2006) . O livro revela detalhes da construção do estádio. Da doação do terreno público pelo então prefeito de Salvador Clériston Andrade até o apoio financeiro durante o governo João Durval Carneiro na construção de suas instalações. Outro fato curioso é que, por conta desse apoio irrestrito, o estádio por pouco não foi batizado com o nome de João Durval, que preferiu transferir a honra a seu sogro, Manoel Barradas - ex presidente do clube.

O nome do estádio é uma homenagem prestada a um ex-conselheiro do Vitória.

No dia 29 de abril de 2009, no jogo entre Vitória e Atlético Mineiro, pela Copa do Brasil, foi assinalado o 1000º gol do time rubro-negro no seu estádio. Foi o terceiro gol na vitória por 3x0, marcado por Neto Baiano, aos trinta e quatro minutos do segundo tempo.


Estatísticas

Todos os jogos e números do Palmeiras no estádio Barradão.

Total:

Estádio Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols Feitos Gols Sofridos Saldo de Vitórias
Barradão 13 4 4 5 20 22 -1
  • 2016 - Vitória 1x2 Palmeiras - Campeonato Brasileiro (11/12/2016) Gol Gabriel, Alecsandro • Marinho
  • 2010 - Vitória 1x1 Palmeiras - Campeonato Brasileiro (08/09/2010) Gol Tadeu
  • 2010 - Vitória 2x0 Palmeiras - Copa Sul-Americana (11/08/2010)
  • 2009 - 2x3 - Campeonato Brasileiro (13/09/2009) Gol Robert (2)
  • 2008 - 0x0 - Campeonato Brasileiro (30/11/2008)
  • 2004 - 2x2 - Campeonato Brasileiro (22/08/2004) Gol Thiago Gentil, Osmar
  • 2003 - 3x1 - Copa do Brasil, 8ªs de final (30/04/2003) Gol Vágner Love (2), Anselmo
  • 2002 - 3x4 - Campeonato Brasileiro (17/11/2002) Gol Flávio, Nenê, Arce
  • 2001 - 3x1 - Campeonato Brasileiro (29/08/2001) Gol Tuta (2), Lopes
  • 2000 - 1x4 - Campeonato Brasileiro (29/07/2000) Gol Adriano Lousada
  • 1999 - 1x2 - Campeonato Brasileiro (31/07/1999) Gol Roque Júnior
  • 1997 - 2x1 - Campeonato Brasileiro (06/08/1997) Gol Marquinhos, Élcio/Vitória (contra)
  • 1995 - 0x0 - Campeonato Brasileiro (23/09/1995)


Artilheiros

Gols
Artilheiro(s)
2 Robert
Tuta
Vágner Love


Localização e vias de acesso

Endereço: Av. Arthemio Valente, s/n
Bairro: Nossa Senhora da Vitória
Cidade: Salvador - BA

<googlemap version="0.9" lat="-12.918889" lon="-38.426667" zoom="17"> -14.179186, -50.449219, Barradão Estádio do Vitória. </googlemap>


No Barradão, a Torcida Os Imbatíveis localiza-se no fundo do gol que dá para a Avenida Paralela à direita das cabines de rádio. Do lado oposto (no fundo do outro gol, que dá para a concentração) se encontra a Torcida Camisa 12, torcida nascida da união entre a Torcida Jovem do Vitória e a Torcida Leões da Fiel. Ao lado direito da Camisa 12 está o M.S.V. (Movimento Sempre Vitória). No setor de Cadeiras está localizado o Grupo de Elite. À direita das cadeiras aparece a Viloucura e à esquerda das mesmas, a Comando Vermelho e Preto.

Ferramentas pessoais